O mito da introdução alimentar


O grande mito da introdução alimentar infantil é mais uma maneira de tentar desclassificar o aleitamento materno.

A ideia de que alimentos sólidos "sustentam" mais o bebê e que por isso ele dormirá melhor é uma grande falácia sustentada e reproduzida diariamente por pediatras, enfermeiras, avós, pais e até mesmo mães.

Mas a grande verdade oculta é que no primeiro ano de vida um ser humano precisa de quase 70% de suas calorias provenientes de um único macronutriente gerador de massa encefálica e reservas para o desenvolvimento e o sono tranquilo: a gordura. Note a alimentação oferecida para um bebê em introdução alimentar: tem gordura? Não. A gordura está toda no leite, seja ele materno ou artificial. Mas está no leite.

Não retire mamadas diurnas do seu bebê, não substitua. Jamais uma fruta ou um legume terão o mesmo valor nutricional de uma mamada. Em introdução alimentar completa (café, almoço, lanche e jantar), o bebê ainda mama de 5 a 6 vezes por dia, durante o primeiro ano de vida.

Na foto, Davi com 180 dias degustando a que veio se tornar uma de suas frutas prediletas: MELANCIA!