Você sabia que o seu cérebro – e também o do seu filho - emite ondas elétricas enquanto dorme

E não só enquanto dorme! Mas quando dorme, o cérebro se torna um grande emissor

de ondas dos mais variados comprimentos, emitidas em estágios específicos - sendo

cada uma fundamental e distinta para a Consciência Humana.


As evidências neurofisiológicas indicam que o sono não se constitui apenas em

repouso cerebral, mas também em estágios distintos de atividade neuronal.


Como já falamos em outro texto, humanos possuem dois tipos definidos de sono: o

leve, que é um estado de semiconsciência onde ocorre o sono REM e o sono

profundo, ou NREM (não REM), onde há perda de consciência e dos sentidos. Ao

longo da noite, nós e os bebês alternamos várias vezes entre os dois. Estes dois tipos

são geralmente quebrados em cinco estágios: I, II, III, IV e REM. Em cada estágio, as

ondas cerebrais se tornam progressivamente maiores e mais lentas, e o sono se torna

mais profundo. Após alcançar o estágio IV, o período mais profundo, o padrão se

reverte e o sono se torna progressivamente mais leve até o sono REM, o período mais

ativo do sono, inclusive onde os sonhos acontecem. Estes são os famosos ciclos de

sono, que diferem entre adultos e bebês e crianças pequenas.


Desde 1929, quando as ondas cerebrais foram descobertas, cientistas identificaram

cinco ondas cerebrais distintas: Beta, Alfa, Theta, Delta e Gama - que mudam sua

frequência em Hertz dependendo do que você está fazendo ou experimentando.


Quando o indivíduo torna-se sonolento, as ondas Beta – predominantes durante o

estado de vigília - vão gradualmente cedendo espaço para outras ondas de baixa

amplitude, como as Alfa e Theta. No sono leve, são as Theta que predominam,

enquanto que em sonolência e relaxamento profundo, as Alfa é que estão presentes.

Sabemos que as ondas de baixa amplitude são as que estão associadas com a

aprendizagem, processamento do mundo, armazenamento e memórias. Nestes

estados de Consciência, podemos aumentar a imaginação, induzir a visualização,

reforçar a memória, aprendizagem e até mesmo a concentração de nossos filhos, com

uma simples técnica que consiste basicamente em falar frases curtas e diretas no

ouvido direito deles enquanto estão dormindo nestes momentos.


Por isso, as histórias antes da cama são tão eficientes para transformar

comportamentos, medos e traumas dos pequenos. O cérebro está recheado de ondas

Alfa. Mas para além dos pequenos prazeres antes da cama, podemos nos comunicar

diretamente com a Consciência de nossos filhos se lhes falarmos em sono REM, onde

as Theta estão fervilhando. Durante este estado mental, pode-se dizer frases positivas

de liberação de culpa, de encorajamento, amor e tantas outras coisas que desejamos

que eles saibam. E com toda certeza, eles saberão muito mais profundamente se elas

forem ditas neste momento.


Mas como identificar o momento certo? Basta a observação prática do estágio REM:

respiração ofegante, movimentos bruscos e eventuais espasmos, mãozinhas abertas e o principal: o movimento dos olhos embaixo das pálpebras fechadas. Faça o teste e

me conta depois? Por Debora Coghi