Grandes mitos sobre o sono do bebê - parte 1


Primeiramente, entendemos como bebês os pequenos entre 0 e 24 meses.

Para estes, os grandes mitos que circulam seu universo único e que, na grande maioria das vezes, atrapalham seu relógio biológico a se regular - criando os maus hábitos, estão presentes em quase todos os lares que visito.

Então, vamos aprender quais são eles para não cometermos os mesmos erros! Começo então, com estes 4:

MITO 1: Nunca acorde um bebê dormindo!

Somos nós, adultos, os ajudantes destes relógios biológicos imaturos em seu gradual processo de regulação. Não há maneira mais eficiente de fazer isso do que seguir horários similares para o dormir e para o acordar. Jamais deixe seu bebê dormir mais que duas horas em uma única soneca! Esta é maior causa da confusão entre dia e noite – e não o ambiente claro ou escuro – pois acabam dormindo longos períodos durante o dia e assim não o conseguem fazer à noite. Acordar o bebê pela manhã em seu horário habitual (demonstrado pelo próprio ritmo do bebê) também é essencial para o sucesso deste trabalho!


MITO 2: Bebês devem acostumar a dormir de qualquer maneira, em qualquer lugar.

Não seja tão cruel com seu docinho! Se você não pode fazer assim, por que exige dele que o faça? Criar um ambiente adequado para o sono ajuda o bebê a aprender mais facilmente a autonomia no adormecer e traz a previsibilidade que eles tanto exigem e necessitam nos primeiros momentos da vida. Ambiente escurecido, berço confortável, conforto térmico e necessidades de alimentação saciadas não acostumam ninguém a dormir mal. Momento de aprendizagem requer ambiente favorável! Sua criança será capaz de se desligar do mundo em qualquer lugar se ela assim o for capaz. Isso não é algo muito treinável...


MITO 3: O bebê deve se adaptar ao ritmo da família e não a família ao do bebê.

Aqui esta suuuuuper errado. Rs. Toda chegada de um novo ser reconfigura o antigo padrão familiar e TODOS devem se adaptar – ou seja, todo mundo tem que ceder. Porém o bebê recém-nascido deve ter prioridade, já que é um ser indefeso e imaturo neurologicamente - apesar de extremamente adaptável – e necessita ter suas demandas atendidas quase que de imediato para não se sentir frustrado. E eu tenho certeza que você sabe que um bebê pequeno tem quase nada de tolerância à frustração e assim ele o faz ficar claro, em alto e bom som do seu choro. Então, adaptar o ritmo da família atendendo as necessidades de sono do seu bebê ajuda você e toda sua família a terem mais qualidade de vida. Esse momento de maior adequação por parte da família passa tão rápido que realmente sentimos saudade, acredite.


MITO 4: Bebês não gostam de ser enrolados em cueiros

Espaços minúsculos são a casa dos bebês. Quanto menores os espaços, mais familiares ele parecem ao bebê pequeno. À medida que o bebê cresce, adaptamos o espaço, mas ainda assim devemos levar em consideração a natureza agitada do sono do bebê – devido a grande quantidade de sono REM, uma fase do estágio leve do sono – onde se movimenta muito durante a noite e, que se estiver muito solto, acaba acordando com ele próprio; e também a ideia de que a primeira referência de amor que um ser humano conhece é o aconchego do útero de sua mãe e buscamos este conforto em todas as relações que estabelecemos ao longo de nossas vidas. Se isso não fosse verdade, não teríamos tantos travesseiros para dormir, não é mesmo?